Friday, November 20, 2015

Bizarre Magazine

AVISO: Esse post possui conteúdo relativamente erótico. Algumas pessoas podem ser sensíveis à certas imagens. TW: Bondage, violência gráfica.
WARNING: This post has soft-erotic content. Some people might be sensible to certain pictures. TW: Bondage, graphic violence. 



A revista Bizarre, lançada em 1946 pelo fotógrafo e desenhista John Willie, foi uma das mais famosas revistas fetichistas da década de 50. Era publicada em intervalos irregulares e encerrou em 1959. O conteúdo consistia em fotos (tendo a esposa de Willie como uma das principais modelos), histórias fictícias ao estilo pulp fiction, cartas de leitores e designs de vestuário fetichista, alguns baseadas nas cartas. As cartas dos leitores falavam sobre salto alto, bondage, corsets, sadomasoquismo, crossdressing, modificações corporais, entre outros. A Bizarre se tornou conhecida pelo conteúdo crossdresser e por não retratar mulheres sendo apenas submissas.
The Bizarre magazine, first published in 1946 by the photographer and cartoonist John Willie, was one of the most famous fetish magazines in the 1950's. It was published at irregular intervals and was ceased in 1959. The content included photographs (having Willie's wife as one of the main models), stories in the pulp fiction style, letters from the readers and fetish-wear designs, some based upon the letters. The letters covered interests such as high heels, bondage, corsets, sadomasochism, crossdressing, body modification, etc. Bizarre was known for its crossdressing content and by not portraying women exclusively as submissives. 


Willie era cuidadoso ao retratar crossdressing e separava a mudança de gênero da homossexualidade. Embora a maioria das figuras da revista fossem mulheres, a Bizarre não tinha os homens como público-alvo, mas também mulheres, não-binários ou "qualquer coisa no meio disso". A revista também nunca mostrava uma mulher sendo amarrava por um homem - era sempre uma outra mulher, o que poderia sugerir que as personagens femininas eram lésbicas. Willie era bastante atencioso aos leitores e procurava satisfazer a todos.
Willie was careful when portraying crossdressing and didn't link gender-bending to homossexuality. Though most figures on the magazine were female, Bizarre didn't have men as its audience, but also women, non-binary or "any in-between". The magazine also never portrayed a woman being tied up by a man - it was always another woman, which suggested lesbian play between the female characters. Willie was very attentive to the readers and looked to satisfy all of them. 





A revista também mostrava uma grande variedade de roupas e saltos de vestuário fetichista. Em 1953, Willie explicou a matemática do salto alto.
The magazine also had a big variety of fetish clothing and heels. In 1953, Willie explained the mathematics of the high heels.



Como era de se esperar, Bettie Page foi fotografada por Willie para a Bizarre e foi a garota da capa da edição 14.
Not a surprise: Bettie Page was photographed by Willie for Bizarre and was the covergirl of issue 14.



A revista terminou sua publicação em 1959 após ser acusada de conteúdo pornográfico, ainda que não houvesse ao menos nudez. Porém, nos anos 70, Eric Stanton reviveu o título, dessa vez como um gibi. As personagens, enredos e arte eram baseadas nas ilustrações de Willie.
The magazine ended its publishing in 1959 after being accused of pornographic content though it didn't show nudity. Then in the 70's, Eric Stanton revived the title, but this time as a comic book. The characters, plots and art were based upon Willie's illustrations.



GALERIA DE FOTOS / 
PHOTO GALLERY:





Isso é tudo pessoal! Espero que tenham gostado do post! Deixe um comentário contando o que achou! Beijos!
That's all folks! I hope you liked this post! Leave a comment telling me what do you think! Kisses!

8 comments:

  1. Mas gente ,tão conceitual essa revista ,chocou a época,mas tenho que admitir que as fotos e sets escolhidos são divinos e ousados ...

    http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sim, ousadíssimos e bem bonitos né?

      Delete
  2. Wow, com a complexidade do desenho da revista o cara desenhava mto, td cheio de detalhes! E mto bom ele ter sacado essa ideia de não fazer um homem dominando.
    Só essa parte do salto me faz ter caimbras só de pensar em colocar algo assim!!

    Bjs de glitter

    ReplyDelete
    Replies
    1. O Willie fazia tudo bem detalhado mesmo, e ainda que sejam surreais, os detalhes dos sapatos são muito bem feitos!

      Delete
  3. Uma das coisas que acho mais legal nessa revista, além do nome, são os desenhos. Muito bem feitos! =)

    Beijos, Pri
    vintage.blogspot.com

    ReplyDelete
  4. Os desenhos são lindos e a proposta é simplesmente maravilhosa.Eu sou louca por essas roupas de segmento fetichista...Acho tão lindo e sexy.

    Vou certamente procurar esse gibi para ler(para ser bem divertido).

    Beijos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Eu também sou louca com fetish wear, tanto que estou procurando por meias de latex ou couro pra usar com sapato preto e dar aquela ilusão de "bota da mulher-gato" sabe? E eu acho que tem online algumas edições!

      Delete